A Câmara Municipal de Loures realizou, no dia 24 de agosto, a primeira de treze visitas a escolas do concelho, que têm como objetivo preparar e verificar todas as condições para a abertura em segurança do próximo ano letivo 2020/2021.

A primeira de um total de treze visitas realizou-se à Escola Básica 2,3 Mário de Sá Carneiro, em Camarate, e contou com a presença da direção e associação de pais do Agrupamento de Escolas de Camarate – D. Nuno Álvares Pereira, Serviço Municipal de Proteção Civil de Loures, Departamento de Educação da Câmara Municipal e da equipa técnica da Autoridade de Saúde do Agrupamento de Centros de Saúde Loures – Odivelas (ACES).
A deslocação ao estabelecimento de ensino teve como propósito verificar a aplicação das recomendações conjuntas da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Ministério da Educação (ME) nas escolas do concelho e ajudar os agrupamentos escolares a definir as melhores medidas para o seu cumprimento, minorando, desta forma, os impactos negativos da COVID-19.
Estas visitas técnicas, que incluem uma escola por agrupamento, pretendem ver, localmente, as dificuldades para implementação das medidas protagonizadas pela orientação conjunta da DGS e do ME, que depois serão replicadas nas restantes escolas dos trezes agrupamentos escolares existentes na Rede Educativa Concelhia.
A acompanhar esta visita esteve também o vereador responsável pelo pelouro da Educação no Município de Loures, que salientou que estas visitas, constituídas por diversas entidades, tiveram como ponto de partida a Escola Básica 2,3 Mário de Sá Carneiro, “por ser aquela que representa maior dificuldade de aplicação das recomendações neste Agrupamento de Escolas ”. No decorrer da visita às instalações da escola, Gonçalo Caroço destacou que o Município irá fornecer dispensadores de álcool gel com pé, sinalização e acrílicos.
António Alexandre, Diretor Executivo do ACES de Loures-Odivelas, enalteceu a Autarquia, “por ser pioneira na implementação de visitas domiciliárias com equipas mistas, que tiveram início de junho, em várias zonas do território”.
Dada a proximidade do arranque do novo ano letivo, a equipa da autoridade de saúde propôs ao Município focar a ação das visitas nas escolas, “porque em termos de pandemia, estes serão locais onde as medidas de controle são mais necessárias. Ela será feita em duas fases: a primeira, no sentido de ajudar as escolas a olhar para os seus fluxos, para os canais onde circulam as pessoas, dando o nosso contributo no sentido de nos protegermos o mais possível. A segunda será a continuidade deste trabalho, trazendo para as escolas aquilo que fizemos na sociedade em geral. A ideia é que esta não seja a única visita. Queremos que as equipas possam fazer aqui aquilo que têm feito nos bairros”, sublinhou António Alexandre.

[metaslider id="2779"]